Semana Santa

Uma Semana Santa “diferente”

A Semana Santa de 2020, realizada de 5 a 12 de Abril, foi diferente para todos os fiéis católicos do mundo em virtude da pandemia do novo coronavírus. De portas fechadas e sem a presença da comunidade, as igrejas precisaram usar da tecnologia e da internet para oferecer oportunidades de vivenciar a “semana maior” sem riscos à saúde.

A participação “virtual” dos fiéis na semana mais importante da fé Católica foi inédita. Diante das dificuldades que este tempo de pandemia nos apresenta foi uma questão de adaptação. A Semana Santa não foi negligenciada por quem quis refletir, rezar e interagir por meio da internet.

No Santuário São Judas Tadeu a programação foi totalmente adaptada para o online. Tivemos missas, momentos de oração e outras celebrações já próprias dessa época. Nosso canal do Youtube foi o principal meio utilizado para as transmissões.

Foi também uma oportunidade de aprendizado para muitas famílias; avós pediram ajuda aos filhos e netos, algumas pessoas adaptaram o Youtube no monitor da televisão da sala e alguns acompanharam pelo celular. Não faltaram criatividade e boa vontade. Confira como foi a Semana Santa 2020 do Santuário São Judas Tadeu:

Domingo de Ramos e da Paixão do Senhor, dia 05 de Abril de 2020

Na Paróquia/Santuário São Judas Tadeu a TV Gazeta (sinal aberto) transmitiu às 8h30 a Santa Missa, que foi presidida pelo Pároco e Reitor do Santuário, Pe. Eli Lobato dos Santos, scj e concelebrada pelos padres Daniel, Reginaldo, Erick e Cleiton. Mais tarde, às 10h, Pe. Jojappa celebrou a missa das 10h, transmitida pela Web TV do Santuário.

Fiéis que acompanharam as celebrações colocaram seus ramos bentos nas portas das casas e postavam fotos em suas redes sociais.

Segunda-feira Santa, dia 06 de Abril de 2020

Em muitos lugares se celebra neste dia da Semana Santa, o Senhor dos Passos. Essa devoção surgiu na Idade Média, se estabeleceu especialmente em Portugal e daí trazida ao Brasil. Ela deu origem à Via Sacra, que lembra 14 passos de Jesus do Pretório ao Calvário, passos que recordam os sofrimentos de Jesus, por puro amor, para nos servir alcançando-nos perdão e salvação.

Na missa de Bom Jesus dos Passos, celebrada às 15h, da Segunda-feira Santa, o presidente da celebração, Pe. Daniel Aparecido de Campos, scj realizou em sua homilia uma reflexão sobre as Sete Dores de Jesus, em seus passos para a morte. Confira aqui a descrição dos sete passos e cada trecho bíblico correspondente

Terça-feira Santa, dia 07 de Abril de 2020

Na Terça-feira Santa foi celebrada missa votiva a Nossa Senhora das Dores, às 15h, presidida por Pe. Cleiton Guimarães, scj. Na reflexão, o padre menciona que no Evangelho (Jo 13), vemos os discípulos comovidos porque Jesus anuncia que um deles há de traí-lo. Pedro quer ir até à morte com Jesus, mas Jesus o adverte, pois pode vir a negá-lo. Chorará mais tarde, até confirmar definitivamente: “Senhor, tu sabes que te amo.”

Junto à cruz de Jesus, Maria sua mãe e João experimentaram algo singular: Jesus, mesmo sofrendo, lhes transmite o seu amor, numa atitude de atenção e carinho. O amor com que agora se amam é o amor de Jesus. Maria e João não ficaram sós. Hoje muitas pessoas revivem esta experiência, unidas na comunidade de amor que é a Igreja.  “Pela Virgem dolorosa, vossa Mãe tão piedosa, perdoai-me bom Jesus!”

Pe. Cleiton enumerou cada uma das 7 dores de Nossa Senhora e, enquanto fazia uma breve reflexão sobre cada uma, uma pessoa acendia uma vela, totalizando sete velas diante da imagem de Nossa Senhora das Dores. Confira abaixo as sete dores de Nossa Senhora.

SETE DORES DE NOSSA SENHORA

1) A profecia de Simeão sobre Jesus e a espada que transpassaria o coração de sua mãe (Lucas 2,34-35)
2) A fuga da Sagrada Família para o Egito (Mateus 2,13-21);
3) O desaparecimento do Menino Jesus durante três dias (Lucas 2,41-51);
4) O encontro de Maria e Jesus a caminho do Calvário (Lucas 23,27-31);
5) Maria acompanha o sofrimento e morte de seu filho Jesus na Cruz (João 19,25-27);
6) Maria recebe o corpo do filho morto tirado da Cruz (Mateus 27:55-61);
7) Maria observa o corpo do filho a ser depositado no Santo Sepulcro (Lucas 23,55-56).

Ao final da Santa Missa, Pe. Cleiton colocou aos pés da Virgem dolorosa o sofrimento do povo brasileiro e pediu sua intercessão pelo povo que sofre o isolamento, a doença e a morte de amigos e familiares, em tempo de pandemia: “Nossa Senhora das Dores, rogai pelo povo que vive em angústia e na incerteza diante do futuro e reanimai a nossa fé e esperança em Jesus, vosso Filho que morreu e ressuscitou”.

Quarta-feira Santa, dia 08 de Abril de 2020

Na Quarta-feira Santa, foi celebrada uma missa especial pelos profissionais da saúde presidida pelo Pe. Reginaldo Souza, scj, às 12h, uma missa pelos enfermos às 15h presidida por Pe. Erick Max, scj, e outra missa às 17h presidida pelo Pároco e Reitor, Pe. Eli Lobato dos Santos, scj, por todos os devotos e paroquianos.

Em seguida, aconteceu pela primeira vez no Santuário São Judas Tadeu a oração do “Ofício das Trevas”, com participação de todos esses padres. O Ofício aconteceu na igreja antiga do Santuário, com acendimento das velas que iam se apagando a cada trecho de oração cantada e meditada. Muito marcante e especial.

Na Segunda, Terça e Quarta-feira Santas, além da Missa das 15h, também foram celebradas missas às 12h e 17h, todas transmitidas pelo Youtube e pela Web Rádio São Judas Tadeu e Rádio 09 de Julho (somente às 17h).

Quinta-feira Santa, dia 09 de Abril de 2020

Na madrugada de Quinta para sexta-feira Santa foi ao ar, pela Rádio Jovem Pan, um programa especial apresentado pelo Pe. Eli, Pe. Erick e Renata Souza. Esse programa trouxe uma reflexão sobre o contexto da Semana Santa nessa fase de pandemia e recolhimento social e o significado de cada dia do Tríduo Pascal, da morte à Ressurreição de Cristo abrindo a programação especial da emissora par este dia, o 53ª Sermão da Paixão Segundo a Jovem Pan e na sexta-feira também foi veiculado pela Web Rádio São Judas Tadeu e Rádio 9 de Julho.

Na Quinta-feira terminou o Tempo Quaresmal na Igreja. À tarde iniciou o Tríduo Pascal, ponto alto de toda a liturgia católica. No Youtube do Santuário São Judas Tadeu houve a transmissão às 19h da Celebração da Instituição da Eucaristia, Ceia do Senhor e o Mandamento do Amor.  A missa foi presidida pelo Pároco e concelebrada, excepcionalmente sem o rito do “Lava-pés”, com o cuidado do distanciamento social. Mas a celebração trouxe uma bela reflexão sobre o serviço, o sacerdócio, com o Pe. Eli Lobato salientando a entrega de Jesus pela salvação da humanidade, com a instituição da Eucaristia.

Na sequência aconteceram na igreja antiga do Santuário Vigílias, com orações na presença do Santíssimo Sacramento exposto na igreja antiga, com orações e cantos, de meia em meia hora, conduzidos pelos padres intercalados, até às 22h. Na Quinta e Sexta-feira Santas (dias 9 e 10 de Abril de 2020) não foram celebradas missas de 7° e 30° dias de falecimento no Santuário São Judas Tadeu.

A sugestão de leitura bíblica foi o Evangelho de João 13,1-15, para a leitura em família, na “Igreja doméstica” de cada lar. Foi sugerido pelos padres neste momento de distanciamento social, que cada membro da família comentasse algo sobre a leitura feita em família e alguém complementasse com o seguinte comentário:

“Não havendo mais tempo para muitas palavras, Jesus fala sobre o servir com o gesto de lavar os pés dos discípulos (Jo 13,1-15). A disposição de amar e servir o leva a instituir a Eucaristia, o dom da sua presença constante entre nós, e o Sacerdócio – “Fazei isto em memória de mim” – e aprofunda o mandato do Amor: “Este é o meu mandamento: Amai-vos uns aos outros como eu vos amei” (Jo 15,12).  Pouco depois,  sabendo que era chegada a sua hora, sai para o Monte das Oliveiras onde, em previsão do sofrimento, reza ao Pai: “Se possível, passe de mim este cálice; porém, não se faça a minha vontade, mas a tua” (Lc22,41-42). O amor vence o medo e torna possível o serviço definitivo, a entrega da vida, qual cordeiro imolado, para a remissão dos nossos pecados.”

Foi indicado que se fizesse um momento de silêncio para a Comunhão Espiritual. Expressar a Jesus o desejo de recebê-lo na Eucaristia, pedir o perdão de todo pecado e renovar o compromisso de viver em comunhão com Ele. Continuemos a rezar e a colaborar para que, pela bênção de Deus, se supere do melhor modo possível a crise do novo coronavírus.

Sexta-feira Santa, dia 10 de Abril de 2020

Sexta-feira Santa da Paixão diferente dos anos anteriores onde os fiéis beijavam a cruz, assistiam a encenação da Paixão de Cristo realizada na igreja nova pelos jovens do VIVARTE e acompanhavam a procissão do Senhor morto, o dia no Santuário foi sem a presença física dos fiéis, mas não faltaram momentos fortes de oração e introspecção.

Em casa, as famílias fizeram jejum de carne e acompanharam desde as 12h a Via sacra com os Padres em Quarentena (Padres Cláudio Weber, Aloísio Knob, Alcides Pedrini, Oscar Longen e Antônio Silva) e às 15h a marcante Ação Litúrgica da Paixão do Senhor, presidida pelo Pároco, Pe. Eli, e concelebrada pelos demais padres do Santuário.

O momento foi permeado pelo clima de silêncio e meditação. Marcante a imagem da Cruz da igreja nova coberta com o tecido roxo, na transmissão da Celebração da Paixão pelo Youtube do Santuário.

Sábado da Vigília Pascal na Ressurreição do Senhor, dia 11 de Abril de 2020

No Sábado Santo, houve o Ofício de Leituras, próprio para este dia, logo cedo, e às 19h houve a tradicional Vigília Pascal (única celebração do dia), com o presbitério ornamentado com arranjos de girassóis e a imagem de Cristo Ressuscitado.

A beleza da liturgia desta celebração, com as várias leituras proclamadas, salmos cantados, aspersão com a água remetendo ao Batismo é inigualável. Tudo transmitido pelo Youtube, mas igualmente bonito.

Domingo de Páscoa na Ressurreição do Senhor, dia 12 de Abril de 2020

A Páscoa de Cristo foi concelebrada solenemente no Domingo às 8h30, (transmitida pela TV Gazeta). Confira um trecho da homilia do Pe. Eli Lobato dos Santos para o Domingo de Páscoa:

“Isolamento social. Mais rigor nas práticas de higiene e limpeza. Medos, incertezas, questionamentos sem respostas e sensação de fim de mundo, compõem o cenário do fim do verão e do início do outono, deste ano. Muita gente reza, pede, suplica e trabalha para que, até o começo do inverno, o cenário se mude. Contudo, se tudo isso, somado às muitas vidas consumidas no serviço a quem foi infectado, apenas trouxer o fim do perigo de contaminação, será muito pouco. O preço que está sendo pago, pelas vítimas de contaminação, pelo pessoal do serviço médico e hospitalar, pelas classes mais pobres da população, o que equivale a uma indescritível mortalidade, tudo isso deve gerar muito mais. Deve gerar muito mais vida entre todos os povos, línguas e nações (…).”

Leia a homilia completa do nosso Pároco e Reitor Pe. Eli Lobato dos Santos, scj aqui.

Às 10h do Domingo de Páscoa na Ressurreição do Senhor, foi celebrada mais uma Santa Missa, fechando a Semana Santa. Esta foi presidida pelo Pe. Cláudio Weber, scj e concelebrada pelos Padres em quarentena do Santuário, no altar da igreja nova.

Novos tempos e desafios, mas sempre com a presença de Cristo. Assim o Santuário permanece junto ao povo de Deus, no coração e na alma. Que a Páscoa seja sempre revivida, com Cristo Ressuscitado presente na família, Igreja doméstica!

CONFIRA TODAS AS CELEBRAÇÕES DA SEMANA SANTA NO SANTUÁRIO:

Inserir a playlist da Semana Santa no site:

Priscila Thomé Nuzzi, jornalista da Paróquia/Santuário São Judas Tadeu.

WEB TV E WEB RÁDIO SÃO JUDAS TADEU

AS PRINCIPAIS CELEBRAÇÕES DA SEMANA SANTA SÃO TRANSMITIDAS PELA WEBTV SÃO JUDAS PELO CANAL: youtube.com/santuariosaojudastadeu E PELA WEB RÁDIO EM radiosaojudastadeu.com.

BAIXE TAMBÉM O NOSSO APLICATIVO NO GOOGLE PLAY!

MAIS INFORMAÇÕES SOBRE A SEMANA SANTA

Qual o significado das Cinzas na abertura da Quaresma?

O significado das cinzas vem do Povo de Deus do Antigo Testamento que usava cinzas em sinal de penitência e conversão (cf. Est 4,1-3; 17). Quando o povo se afastava dos compromissos com a Aliança com Deus, os profetas chamavam a atenção para a volta aos compromissos. O sinal de que o povo se convertia de volta aos compromissos com Deus era este de atender aos profetas, arrepender-se e volta a Deus com a cabeça coberta com cinzas.

Cinzas também tem o significado de fim: “Sobrou pó e cinzas”. Lembra que nosso corpo terminará um dia em cinzas. Usando cinzas, as pessoas se reconhecem que hão de “virar pó e cinzas”.

Nossa Igreja mantém o uso litúrgico de cinzas por causa desses significados e por ser um antigo símbolo bíblico.

Hoje, as cinzas são usadas como demonstração de penitência pelos erros e conversão do caminho errado para o certo. Nós queremos mostrar externamente o reconhecimento da nossa fragilidade e o motivo por que confiamos na força da graça de Deus. Receber cinzas é ter disposição no coração e na vontade, para renovar a vivência cristã.

A Quaresma é o tempo em que a pessoa e a comunidade procuram fazer uma análise de como estão vivendo seus compromissos do Batismo. Propõem-se uma renovação pessoal e comunitária.

Receber cinzas é um sinal externo de que a pessoa e a comunidade se comprometem com o espírito de penitência da Quaresma.  Receber cinzas, portanto, é reconhecer em público a condição de pecadores.  Mas pecadores que querem entrar em processo de transformação.

Da análise da vida, surge a decisão de se emendar; e aparece a vontade de voltar ao caminho da vida cristã.  Isto é o que se chama de conversão.  Converter-se é voltar ao bom caminho de antes.

No Brasil, é tempo de Campanha da Fraternidade, que indica o caminho para retornarmos à fraternidade rompida em algum aspecto da vida social.  Os compromissos do Batismo são compromissos com o projeto de fraternidade que Cristo trouxe ao mundo.  A Campanha da Fraternidade é a maneira mais concreta possível de fazermos uma boa Quaresma.

 

Via-sacra
Ao longo da Quaresma, muitos fiéis realizam a Via-Sacra como uma forma de meditar o caminho doloroso que Jesus percorreu até a crucifixão e morte na cruz. A Igreja nos propõe esta meditação para nos ajudar a rezar e a mergulhar na doação e na misericórdia de Jesus que se doou por nós. Em muitas paróquias e comunidades, são realizadas a encenação da Paixão, da Morte e da Ressurreição de Jesus Cristo por meio da meditação das 14 estações da Via-Crucis.

Na Paróquia/Santuário São Judas Tadeu as Vias-Sacras sempre são rezadas na igreja antiga, pois ela comporta em suas paredes quadros com todas as estações da Via-sacra.

 

Confissões
Foi aos apóstolos, representados por Pedro, que Jesus conferiu o poder de perdoar os pecados (Jo 20,23). Assim, Jesus instituiu o Sacramento da Reconciliação (Confissão) como sinal de libertação para a pessoa e perdão dos seus pecados. A Confissão é uma celebração de alegria, com sabor pascal, que expressa a ação do Espírito Santo. A graça de Deus, recebida no Batismo, uma vez perdida, é reconquistada pelo arrependimento. No plano psicológico, a Confissão ajuda a repartir a angústia, o remorso do pecado que nos atormenta e a descobrir novos caminhos de libertação e felicidade. Todas as nossas ações – boas ou más – por mais ocultas que sejam, têm repercussão comunitária e social.

Confissão e absolvição individual: deve ser preparada pela reflexão e confronto com a Palavra de Deus, pelo arrependimento e propósito de uma vida nova. É a forma ordinária do sacramento. Após um profundo exame de consciência, é bom elencar por escrito ou mentalmente os pecados cometidos e deles se arrepender com sinceridade. Só então, chega a hora de procurar o padre ao qual você irá confessar-se.

É muito recomendável confessar-se no período da Quaresma, para preparar-se para a Páscoa da Ressurreição do Senhor.

A Paróquia/Santuário São Judas Tadeu possui a Capela de Bênçãos e Confissões, localizada ao lado da Secretaria da Paróquia, onde os Padres Dehonianos atendem as confissões individuais, das 8h às 20h de segunda a sexta-feira, aos sábados e domingos das 8h às 18h. São dois padres que se revezam, sem intervalos para almoço, no atendimento aos fiéis. Também são realizadas nesta Capela as bênçãos diárias, das pessoas e objetos  (terços, medalhas, documentos, carteiras de trabalho, carros) de meia em meia hora, com aspersão de água benta.

“Procurai o Senhor enquanto é possível encontra-lo, chamai por ele, agora que ele está perto. Que o malvado abandone o mau caminho, que o perverso mude seus planos, cada um se volte para o Senhor, que vai ter compaixão, e retorne para o nosso Deus, imenso no perdoar”. Is 55,6-7.  

Fontes: Jovens Conectados,  Portal Canção Nova, Arquivos Jornal São Judas. 

WhatsApp chat