fbpx

Um estilo de vida ecologicamente sustentável!

Você sabia que reduzir o consumo de água, diferenciar o lixo, não desperdiçar comida, economizar energia elétrica, são boas atitudes para você, todo o planeta e vai de encontro ao que o Papa Francisco pede a todos nós, católicos?

 

Para que todos façamos escolhas corajosas através de um estilo de vida sóbrio e ecossustentável, alegrando-nos pelos jovens que se empenham resolutamente por isso.

A intenção de oração proposta pelo Santo Padre à sua Rede Mundial de Oração para Setembro nos convida à conversão de nossa relação com o mundo que nos rodeia. Para proteger nossa “Casa comum”, o Planeta Terra, constantemente o Papa Francisco conclama “toda a família humana” a se unir “na busca de um desenvolvimento sustentável e integral”.

Na Encíclica “Laudato Sí”, de 2015,  o Papa lista ações práticas de uma ecologia integral, como “evitar o uso de plástico e papel, reduzir o consumo de água, diferenciar o lixo, cozinhar apenas aquilo que razoavelmente se poderá comer, tratar com desvelo os outros seres vivos, servir-se dos transportes públicos ou partilhar o mesmo veículo com várias pessoas, plantar árvores, apagar as luzes desnecessárias.”

Mas ele diz que as soluções para a crise planetária exigem simultaneamente combater a pobreza e devolver a dignidade aos excluídos: “É fundamental buscar soluções integrais que considerem as interações dos sistemas naturais entre si e com os sistemas sociais. Não há duas crises separadas: uma ambiental e outra social; mas uma única e complexa crise sócio-ambiental”, diz o pontífice.

Na encíclica, Francisco trata ainda da questão do trabalho e de como o tema se liga à noção de ecologia integral. Para ele, trabalhar é uma “necessidade, faz parte do sentido da vida nesta terra, é caminho de maturação, desenvolvimento humano e realização pessoal”. Mas ele afirma que a “orientação da economia favoreceu um tipo de progresso tecnológico cuja finalidade é reduzir os custos de produção com base na diminuição dos postos de trabalho, que são substituídos por máquinas”. “É mais um exemplo de como a ação do homem se pode voltar contra si mesmo”, conclui.

Outro entrave à realização da ecologia integral é a falibilidade de governos e sistemas institucionais, diz o Papa. “As leis podem estar redigidas de forma correta, mas muitas vezes permanecem letra morta. (…) Sabemos, por exemplo, que países dotados de uma legislação clara sobre a proteção das florestas continuam a ser testemunhas mudas da sua frequente violação.”

Para o Papa, ecologia integral também tem a ver com o cultivo da “paz social” e da “paz interior”. A primeira categoria diz respeito à “estabilidade e a segurança de uma certa ordem, que não se realiza sem uma atenção particular à justiça distributiva, cuja violação gera sempre violência”.

A segunda trata da capacidade de desfrutar da beleza da Criação divina. “A paz interior das pessoas tem muito a ver com o cuidado da ecologia e com o bem comum, porque, autenticamente vivida, reflete-se num equilibrado estilo de vida aliado com a capacidade de admiração que leva à profundidade da vida.”

Por fim, diz Francisco, “a ecologia integral também é feita de pequenos gestos cotidianos, pelos quais quebramos a lógica da violência, da exploração, do egoísmo. Pelo contrário, o mundo do consumo exacerbado é, simultaneamente, o mundo que maltrata a vida em todas as suas formas.”

Plataforma de Ação “Laudato Si”

Alinhado com essa temática ambiental, o Papa Francisco lançou no mês de Maio desse ano uma iniciativa para transformar as instituições católicas em organizações ambientalmente sustentáveis ​​em até sete anos.

A Plataforma de Ação “Laudato Si” leva o nome da encíclica papal que foi lançada em 2015 e falava sobre a necessidade de proteger o meio ambiente, mudar nosso estilo de vida, conter o aquecimento global e proteger os mais pobres dos efeitos das mudanças climáticas. Na ocasião o Papa disse que a iniciativa seria “uma jornada de sete anos para que nossas comunidades estejam comprometidas de diferentes maneiras para se tornarem totalmente sustentáveis, no espírito da ecologia integral”. Francisco também condenou “nossa atitude predatória, que nos faz sentir donos do planeta e de seus recursos e nos autoriza a fazer um uso irresponsável dos bens que Deus nos deu”.

 

Setor de Comunicação e Marketing da Paróquia/Santuário São Judas Tadeu

5 Comentários
  • Rosana Viana Soares
    Postado em 12:41h, 13 setembro Responder

    Concordo e já faço em casa e onde for levo estas iniciativas passando a aprendizagem diante .
    Como CUIDAR Amar e PROTEGER A NOSSA CASA.

  • Marcos Takahashi
    Postado em 13:19h, 13 setembro Responder

    Ótimo texto, muito bom a Igreja também ajudar as pessoas a refletirem sobre o estilo se vida sustentável.

  • Ydê Aparecida Siqueira
    Postado em 13:32h, 13 setembro Responder

    Sábias palavras, como sempre, papa Francisco nos passa ensinamentos maravilhosos que nos enriquece como ser humano, mas principalmente espiritualmente. Ele é mesmo um enviado de Deus..

  • Sandra Alves De Souza
    Postado em 13:47h, 13 setembro Responder

    Eu já faço a minha parte, eu levo às Garrafas Pet,próximo a minha casa tem um Prédio em construção, fizeram Coleta Seletiva.
    Achei Ótima essa iniciativa.
    Mais à maioria das pessoas NÃO estão nem aí, joga papel no chão, fora às outras coisas.

  • Antonio Carlos Gottardo Ladeia
    Postado em 11:08h, 15 setembro Responder

    E preciso conservamos a ecologia o meio ambiente que nos da terra a água a sobrevivência todos nós temos obrigação de mantemos o nosso meio ambiente criado por Deus Nosso Senhor. Que Sao Judas Tadeu i terceiro por todos nós filhos e filhas adotivos do pai.Obrigado

Publique um comentário

WhatsApp chat