Lugar privilegiado para a comunhão eclesial

Março/2019

Cada dia é um dom, é graça de Deus a todos que crêem, especialmente aos devotos que recorrem à intercessão de São Judas Tadeu, na Paróquia e Santuário do Jabaquara. Caminhamos, em 2019, nos preparando para celebrar os 80 anos da comunidade (25/01/2020). Todo mês, no dia 25, vamos rezar, em toda santa missa, por este Jubileu: celebrar, agradecer e seguir com esperança!

No dia a dia, conhecemos pessoas de muita fé por aqui. É só vir, por exemplo, à santa missa das 7h da manhã, e encontrar-se com a sra. Vanda Batista dos Santos, 93 anos. Vanda participa da celebração diária, antes de ir trabalhar. Sim, ela ainda trabalha, em consultório médico, e é voluntária da Paróquia, desde que chegou de Minas Gerais para morar em São Paulo, em 1929. “Quando foi abençoada a pedra fundamental da igreja nova, eu estava presente”, conta orgulhosa e declara: “São Judas foi a primeira Paróquia que conheci na cidade e foi amor à primeira vista. Minha igreja é essa. Nesses anos todos, ajudei em vários eventos, sempre como voluntária. Dedicar-me à Igreja é uma bênção do Céu. Aqui não tenho inimizades, sou bem acolhida… Quero continuar fazendo amizades e completar meus 94 anos em Setembro, com a graça de Deus”.

Como dna. Vanda, muitos paroquianos, agentes de pastoral e voluntários têm na Paróquia uma extensão da própria casa. Este é o caso de Susana Regina de Souza, que alcançou uma grande graça através da vivência em comunidade: “Minha conversão foi graças a São Judas há 7 anos. Eu me confessava, comungava e passei a vir do trabalho a pé até o Santuário, pedindo minha conversão e libertação. Consegui largar o vício do cigarro e nunca mais fumei. Logo depois, descobri três nódulos na garganta, através de exames, pois minha garganta doía. Depois de um ano, rezando muito, fazendo jejum, confessando e comungando nas missas do Santuário, me entregando a Deus e agradecendo diante do Santíssimo Sacramento, refiz os exames e não deu mais nada. Estou curada! O médico disse que eu deveria testemunhar esse milagre. Fui libertada pela confissão, penitência e jejum. São Judas Tadeu me trouxe aqui e Deus me concedeu essa grande graça!”, desabafa emocionada.

A Paróquia é a Igreja perto de nós, com a riqueza de todos os seus membros, na diversidade e na unidade. Da Paróquia nos abastecemos espiritualmente, através da Palavra, dos Sacramentos, com a integração e o testemunho dos irmãos, em Cristo. Num dia 28, encontrei Everly Jones Longo Raimo e o seu marido, Roberto Knopf, na igreja antiga, de joelhos. Perguntei se haviam alcançado alguma graça, em especial, e eles responderam que não, que a gratidão é um hábito. Everly disse: “Eu e meu marido lutamos muito juntos e somos abençoados, por não termos enfermidades e conseguir superar todas as dificuldades, juntos. Passamos por tempos difíceis, mas estamos conseguindo superar tudo e pagar todas as dívidas. Estamos sempre aqui, agradecendo. Somos casados há 17 anos e termos um ao outro é o maior presente de Deus pra nós”.

Esses fiéis compõem a história de uma Igreja que é muito mais do que suas paredes. Vidas e famílias são fortalecidas e transformadas, pela fé. Como afirma o documento de Aparecida: “A Paróquia como comunidade de comunidades é a célula viva da Igreja e o lugar privilegiado no qual a maioria dos fiéis tem uma experiência concreta de Cristo e a comunhão eclesial” (DAp. N. 170). Que a preparação para o Jubileu de Carvalho dessa Paróquia, intensifique a nossa oração e nos fortaleça, em Cristo!

 

Priscila Thomé Nuzzi

Nenhum comentário

Publique um comentário

WhatsApp chat